domingo, 30 de setembro de 2007

Mar de Setembro

Tudo era claro:
céu, lábios, areias.
O mar estava perto,
fremente de espumas.
Corpos ou ondas:
iam, vinham, iam,
dóceis, leves - só
alma e brancura.
Felizes, cantam;
serenos, dormem;
despertos, amam,
exaltam o silêncio.
Tudo era claro,
jovem, alado.
O mar estava perto
puríssimo, doirado.

Autor: Eugénio de Andrade, Mar de Setembro

2 comentários:

Mïr disse...

Purissimo mar de Setembro.

Aprendiz de Viajante disse...

As palavras e a foto... tão bonito!

Um bom feriado para ti!

Bjo